terça-feira, 10 de julho de 2012

Beijos de Boa Noite

Desde que a J. estava na minha barriga que criei o ritual de lhe dar as boas noites. Ritual que também já tenho com a L.. Já cá fora, um beijinho na testa, quando era mais bebé, tornou-se num beijo repenicado e num abraço apertado, à medida que a J. foi crescendo. Confesso que com uns "lambe-vaca" (lambidelas na cara ensinadas pelo pai) da parte dela, com uns de vingança minha e muita risada há mistura. Há quase um mês que o M. foi para fora e, apesar de não ser novidade, ter o pai a trabalhar à distância, a verdade é que agora ela já não tem ano e meio e a distância é muito, mas muito maior. A necessidade de manter o ritual do beijo de boa noite do pai, partiu do pedido do mesmo, de lhe dar um beijo e dizer que é do pai. Assim o fiz e a "princesa rosa" (como ela gosta de se auto denominar), aproveita há já várias noites para trocarmos beijos em nome dos familiares que estão longe, da irmã que está na minha barriga, dos amigos, das educadoras da escola... A cada dia tem a sua lista feita na hora, para brincar comigo e adiar por segundos a entrada na cama, beijar-me e ser beijocada, nuns minutos de grandes "mimices".
Os últimos tempos não têm permitido a leitura de uma história ao deitar, mas sinto que estamos a fazer história na história das nossas vidas, com estes beijos e abraços e as mimices que trocamos, em nome dos que estão perto e dos que estão longe.

2 comentários:

  1. Sao estes momentos que ficarão sempre na memória... A minha mamãe não nos deixava dormir sem bjoss! Assim passamos este gesto as nossas mais-que-tudo! BEIJOOOOOO

    ResponderEliminar