segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Silêncio ou sussurro?

Hoje a J. não se calou um segundo ao jantar. A somar aos pontapés e murros da L., eu já estava quase a arrancar cabelos. É que a a J. não só faz perguntas, como na mesma frase responde a si mesma e ainda consegue começar a contar uma história sem colocar virgulas ou respirar. Eu sei que a genética é forte, mas a verdade é que nem a ordem "J. respira" -  à qual ela responde com um momento de meditação vivido à velocidade da luz - surte efeito.
Foi para a cama e queria ver televisão enquanto arrumei alguma roupa da irmã. A matraca não parou a insistir no seu pedido. A versão pica-miolos sem falta de ar é de tirar qualquer um do sério, mas eu lá vou tendo paciência. Continuei a responder que só depois de eu terminar de arrumar ela poderia e que até lá era favor ficar em silêncio. Foi quando comecei a ouvir o seu sussurro: "Mãe, mãe". Olhei e a J. apontou para a boca. Perguntei o que era e ela sussurrando disse:"Vês?! Estou em silêncio". Mais uma gargalhada contida acompanhada de um "continua assim". Enquanto terminei de arrumar a roupa ela foi enfiando e tirando a cabeça da almofada a dizer que "ainda te estou a ver a arrumar, depois quero ver televisão". A verdade é que o sono ganhou a guerra e apesar da J. ter-lhe dado luta, acabou por esquecer os sussurros e dar lugar ao silêncio. Até amanhã de manhã quando acordar com os decibéis no máximo. 

Sem comentários:

Enviar um comentário