segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Até já meu anjo...

Há pouco tempo enviaram-me o texto onde se lê no fim:"Pedras no caminho? Guardo todas, um dia vou construir um castelo."


A vida tem-me ensinado a fazer isso mesmo. Com as pedras que tenho tido no meu caminho aprendi a  fazer um castelo. Um castelo com um príncipe amoroso e fantástico e duas princesas maravilhosas e especiais.


Desde o primeiro momento em que começou a ganhar vida dentro de mim, a Leonor ensinou-me que nada se planeia. Vive-se um dia de cada vez e tudo muda num segundo. Não é que eu já não soubesse, mas a Leonor sempre se certificou que eu não esquecesse esta lição. Mesmo quando decidiu que chegou a sua hora, voltou a fazê-lo.

Florbela Espanca escreveu que “amar alguém o mesmo é que atirar pétalas ao vento”. Amar também é deixar ir e por isso é que com o coração quente por sentir a alma da minha pirralhinha que sinto que a minha princesa volta para onde veio e que nos vai iluminar hoje e sempre.


Agradeço-lhe e a quem lá mais alto tudo gere esta dádiva de 4 meses. Este amor que nunca acabará. 

Somos 3 fisicamente e seremos 4 para a eternidade.

Até já minha pirralhinha, meu anjo… A nossa eterna guerreira

3 comentários:

  1. até já! re-encontraremos-nos um dia destes... até lá um brilho nocturno cintilará relembrando o quão pequenos somos num infinto sentimento de amar...

    ResponderEliminar
  2. De um comentário que fez no fbook da Rita Ferro Rodrigues, vim parar aqui. Tenho uma bébe de 3 meses, tb ela segunda filha e foi por isso inevitável conter as lágrimas, ao mesmo tempo que me comovi com essa força tão grande de viver cada agora da vida! Tb acredito que nada é por acaso e que por mais triste que sejam os acontecimentos que se atravessam no nosso caminho, eles servem sempre para nos levar a algum lugar melhor (mesmo que seja dentro de nós).

    Patrícia Silva

    ResponderEliminar