terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Sobre a coragem

A mensagem abaixo chegou-me através de uma amiga de alma. Não precisamos assim tanto de nos tocarmos e convivermos para sentir e saber que há almas que tocam as nossas. É o caso desta amiga. 

Desde que a Ninocas partiu e que a minha mãe teve o AVC na semana seguinte, que os dias têm sido de luta. De travar batalhas. Contra a dor. Contra aqueles que nos querem deitar abaixo. Contra a injustiça. 

Se há coisa que as minhas filhas vieram fazer foi ensinar-me a valorizar-me e a não ter medo. A viver cada vez mais com o coração, independentemente dos dedos apontados, das frases acusadoras e/ou dos olhares de soslaio. 
Houve tempos em que me sentia insegura. Há uma mês quando "perdi" a minha pirralhinha chegaram-me frases de apoio de pessoas que comigo conviviam na altura e que me surpreenderam. Referiam a minha coragem. A minha garra. A minha obstinação.

A verdade é que hoje sou o que sou devido à minha obstinação em ouvir a minha voz interior. Deixei de permitir que me inferiorizassem e lutei para ter tudo o que tenho hoje. Realização no amor. Realização no que faço. 

Se foi preciso coragem? Pelo texto abaixo "parece" que sim. Aquilo que sinto é que sempre me obriguei a lutar contra o medo e fazer tudo com o coração. Mesmo que depois ele me doa. Como me dói no dia de hoje. 


"A palavra coragem é muito interessante. Ela vem da raiz latina cor, que significa "coração". Portanto, ser corajoso significa viver com o coração. E os fracos, somente os fracos, vivem com a cabeça; receosos, eles criam em torno deles uma segurança baseada na lógica. Com medo, fecham todas as janelas e portas – com teologia, conceitos, palavras, teorias – e do lado de dentro dessas portas e janelas, eles se escondem.O caminho do coração é o caminho da coragem. É viver na insegurança, é viver no amor e confiar, é enfrentar o desconhecido. É deixar o passado para trás e deixar o futuro ser. Coragem é seguir trilhas perigosas. A vida é perigosa. E só os covardes podem evitar o perigo – mas aí já estão mortos. A pessoa que está viva, realmente viva, sempre enfrentará o desconhecido. O perigo está presente, mas ela assumirá o risco. O coração está sempre pronto para enfrentar riscos; o coração é um jogador. A cabeça é um homem de negócios. Ela sempre calcula – ela é astuta. O coração nunca calcula nada." Osho

1 comentário:

  1. Muitos beijinhos Irina e sem a conhecer pelo que escreve é uma alma com um coração fantástico, siga sempre o seu coração ele vale muito. Estela

    ResponderEliminar