sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Chega de tretas!!

Ao ler esta notícia, nem queria acreditar.

http://revistapaisefilhos.uol.com.br/nosso-bebe/qual-futuro-da-humanidade-nascida-por-cesariana

Tive duas cesarianas pois não tenho corpo para ter parto natural. Acho que haver gente que para defender o que quer usa tudo quanto é argumento é o que muda sim a humanidade.
Eu nasci de parto normal e tive uma mãe que não me deu muito amor.
 De uma vez por todas, é preciso que as mulheres antes de serem mães sejam mulheres bem resolvidas consigo próprias, para que depois não venham os medos, as ânsias e/ou os exageros com o parto, a amamentação, a escola, etc. É preciso que nos libertemos das educações com teses e conceitos punidores.
A mulher não é um animal feito só para procriar.
A mulher existe cada vez em toda a sua plenitude e nos seus ângulos.
Não ser mãe não nos faz menos mulheres.
O modo como trazemos os nossos filhos ao mundo não nos faz pior ou melhor pessoas, nem a eles.
De uma vez por todas, voltemos ao básico, àquilo a que todas as religiões, de uma forma ou outra deram um nome, mas que no fundo é tudo a mesma coisa: AMOR.
Preocupem-se mais em amar sem pedir em troca e aí sim, a humanidade ficará muito melhor.

1 comentário:

  1. Concordo consigo, nem quero acreditar! Eu fui abençoada com o facto de ser boa parideira, tive dois partos normais sem epidural e com a duração de 15 minutos cada, mas o amor que tenho pelos meus filhos seria o mesmo que tivesse tido duas cesarianas. Há cada teoria! Filomena Madeira

    ResponderEliminar