sábado, 8 de março de 2014

Dia Internacional da Mulher

É hoje! Para obrigar os mais distraídos a lembrarem-se de que estamos por aqui. De que século a século, temos conseguido cada vez mais. Respeito muito os homens, de quem gosto muito, mas as mulheres têm uma força, uma gana que nos é genética. Tenho uma filha mulher e desde cedo que lhe reconheço essa genética e também a complexidade de ser mulher. Os homens são mais lineares. Nós somos muito mais complexas. Mesmo que nos virem do avesso há muito para estudar. Acho que só isso explica tudo o que fazemos. O ter filhos, o ter uma carreira, o gerir de uma relação, o gerir da casa, o gerir das emoções, o gerir o que é criar uma criança e educá-la para o mundo. Além de mulher, amante, pessoa, somos ainda mães pássaros que preparam os seus filhos para voarem sozinhos. Se custa? Um pouco! Mas está na nossa essência.
É verdade que nem todas as mulheres gostam de ser conotadas com tudo isto que escrevi. É mais do que verdade que estão no seu direito.
Eu admiro as mulheres, mas confesso que prefiro trabalhar com homens.
Sei que há as mulheres que tudo fazem sem pedir nada em troca.
Sei que existem as mulheres que fazem o que fazem só para se queixarem do que fazem e reivindicarem os seus direitos.
Sei que existem as valentes.
As que se anulam.
As que lutam com toda a garra.
Conheço de todas um pouco.
Admiro a todas pelo facto de serem mulheres e existir em nós uma genética que nos é própria.Até em desdenhar (mais do que devemos) os homens! Sejamos lésbicas ou não!
Mas para mim o Dia da Mulher é todos os dias. Todos os dias em que me chegam histórias de mais uma mãe que perdeu o emprego e fica em casa a tomar conta dos filhos e do marido, de mais uma mãe que conseguiu algo que desejava depois de muita luta, de mais uma mãe que ganhou uma batalha contra uma doença, de mais uma mãe que perdeu um filho.
Da última conheci muitas (virtualmente) nos últimos meses. Mulheres de uma garra incrível que tudo fazem para viver e honrar os filhos que partiram. Mulheres que sempre soube existirem. Que nunca pensei tornar-me numa delas. Mas foram elas que me devolveram parte de uma credulidade perdida na humanidade.
Amanhã é dia 9 de Março.
Já não é o Dia internacional da Mulher, mas continua a ser o dia-a-dia das mulheres. Um de muitos que escrevem a história do sexo feminino nas páginas do livro deste Universo.
Vivam as Mulheres!

1 comentário:

  1. Tão lindo o k escreveste e tão verdade...
    O dia da mulher é todos os dias :)
    Bj

    ResponderEliminar