domingo, 4 de maio de 2014

Dia da Mãe é todos os dias, mas hoje podemos reflectir!



Foi o que fiz mal abri os olhos quando ouvi: "Mãe, Feliz Dia da Mãe! Vou só à casa de banho e já venho dar o teu presente, para depois irmos para a piscina". Eram 9h20m. Mais ou menos.
Sorri. Pensei que é o meu sexto ano de dia da mãe. Há 6 anos já tinha a J. na barriga e estava de cama para não a perder. Há 5 anos que sou brindada pelo seu sorriso.
A J. foi buscar o presente enquanto eu pensava que parte de mim não está cá. Há uma parte de eu ser mãe que partiu há ano e quase meio. É o meu 2º dia da mãe sem a Leonor. Este vazio veio para ficar. Aprendi a viver com ele. Mas se há um ano estava triste, hoje não estou. O meu coração está quente. Tenho uma filha/anjo que passou pela minha vida para me ensinar muita coisas - tantas, que ainda não descobri todas - e tenho uma filha linda que de bebé já passou a doce menina. Uma querida que me alegra os dias e me faz arrancar cabelos e contar até 10.
Mas é esta a maravilha de ser mãe!
O que os nossos filhos nos fazem sentir.
Aquilo que fazemos pelos nossos filhos.
Se pararmos e olharmos para trás, de certeza que, todas as mães já fizeram coisas que nunca se imaginaram capazes. É ser Mãe que torna isso possível.
É este amor. É este dar sem parar. Este querer que eles sejam felizes que não tem fim.
Quando falo de felicidade não me refiro a dinheiro.
Quero que a minha J. seja um ser humano que, mesmo com pouco, saiba ver o bom de todas as coisas.
Que tenha a capacidade de aceitar o que não pode mudar.
Que tenha a capacidade de lutar pelos seus sonhos, respeitando os outros e fazendo-se respeitar.
Que tenha a capacidade de perceber que a felicidade, quase sempre, não está no muito, mas no que é feito e dado de coração.
Que ela saiba que quando estiver mais frágil e precisar do meu colo que lá estarei. Mesmo que seja do outro lado.
Hoje também foi dia de pensar na minha mãe que partiu há quase um ano. Continuo a sentir a falta dela apesar de nunca termos tido a relação natural de mãe e filha. Mas, apesar disso, aos 37 anos, olho para trás e vejo que há coisas que ele me ensinou da pior maneira, mas que me ajudam a ser a pessoa que sou hoje e a ter enfrentado o que enfrentei. Tivesse tido eu outra educação e acho que não teria sido tão forte. À minha mãe, que foi a mãe que pode ser, agradeço fazer-me querer ser uma melhor mãe da minha J. (e também da minha L. - do meu lado espiritual) todos os dias.
O dia de hoje não é só das mães biológicas, é de todas as mulheres que deram o seu coração a um filho.
Feliz Dia da Mãe, que não é só hoje, mas 365 dias por ano, 24 horas por dia.

1 comentário:

  1. Tão lindas as tuas palavras... são mesmo dias que nos fazem pensar e refletir. Feliz dia da mãe.
    Bj

    ResponderEliminar