quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Até Sempre Princesa Côderosa

Desde ontem que fiquei com o coração apertado quando li o post matinal da página que nos trouxe a ti e aos teus pais até nós.
A página de FB que chegou a tanta gente passando a mensagem que vieste trazer-nos.
Fizeste em 15 meses mais do que muitos em longas vidas.
Tenho a certeza que nunca serás esquecida, seja por quem for, que te conheceu e leu.
Sabes isto melhor do que eu!
Porque, melhor do que eu, sabes o que vieste fazer a este mundo.
Soube de ti, pouco tempo, depois de ter perdido a minha Leonor com 4 meses.
O nome aproxima-nos.
A admiração da luta de uma criança que é sempre superior à de um adulto, faz-me fazer-vos uma vénia.
A ti.
À minha Leonor.
A uma Joana com 10 anos que vi partir, dia a dia.
A tantas e tantas crianças que todos os dias sofrem e lutam pela vida, enquanto nós adultos, na maioria das vezes estamos mais preocupados com outras coisas, que no fundo, são importantes, mas não têm o mesmo valor que a vida e que o amor.
Perder a minha Leonor, conhecer-te e aos teus pais, através das mensagens da tua mãe que nunca se acanhou de mostrar a sua fé e o seu amor (coisa rara na sociedade que temos), conhecer outras tantas mães que perderam filhos... mudaram-me para a eternidade.
Sempre fiz questão de pensar, na minha vida, que há sempre uma história "pior" que a minha e de ir buscar todas as forças que tenho para superar as tristezas e os obsctaculos.
Quis a minha missão nesta vida que me tornasse numa mãe que perdeu uma filha.
Uma filha que não sabia ainda palavras, mas falava pelo olhar.
Um olhar tão profundo e sereno como o teu, apesar de toda a adversidade.
Quando li a notícia da tua partida, que já sentia no meu peito desde a manhã, as lágrimas vieram.
Como não podiam vir?
Sei que é o teu caminho.
Mas ficamos tristes por te ver partir. Por saber da dor eterna dos teus pais.
Mas fico feliz por ter tido a oportunidade de vos ler e de aprender contigo.
De abrir ainda mais os olhos para a vida.
De aprender a queixar-me menos e a stressar menos ainda.
De me ensinar a levar a vida um dia de cada vez.
Não és a única que partiu nos últimos tempos nessa luta, por isso sei que estás em festa com os teus amigos.
A grande verdade é que nós não temos a capacidade de ver as asas que vocês têm.
Sempre acreditei em anjos e depois da minha Leonor ainda mais. Tu, com as palavras que fizeste passar pela tua mãe, tal como a da oração que fizeste nesta fotografia, são a prova disso.
E o dia é de tristeza.
Há muita gente triste. Outras tantas indiferentes. O mundo é assim.
Mas tu destacaste-te pelo teu sorriso perante a adversidade.
O mesmo sorriso que sempre vi na minha piquenina.
O mesmo sorriso que lhe jurei, com elas nos braços quando partiu, e te juro.
Acho que todos nós, adultos, quando nos estamos a "passar" deviamos pensar em ti, Princesa Guerreira, e em todas as outras Princesas e Principes que lutam diariamente em Portugal e pelo Mundo inteiro.
Não é viver de tristezas.
É inspirar-nos na luta dos que foram escolhidos para lutar.
Saber de tudo isto e não esconder na minha cabeça que esta realidade triste existe, faz-me desfrutar ainda mais da minha filhota.
O tempo corre e nunca sabemos o dia da amanhã, nem o que a vida nos reserva.
Eu aprendi isso da maneira mais dura.
Mas pela minha Leonor, por ti, por todos os guerreiros e anjos, prometo sorrir entre lágrimas e só desistir de acreditar e de lutar pela minha felicidade, quando o meu coração desistir e também chegar a minha hora de partir.
Tu partiste. O mundo parece cinzento, mas não é, porque pintaste-o de côderosa.
Basta ir ao FB e ver. Até os homens não se acanham, de por ti, usar côderosa na foto de perfil.
Obrigada Princesa Guerreira. Obrigada Mãe Vanessa e Pai Jorge. Obrigada por serem sido vocês mesmos, sem pudores nem vergonhas. Simplesmente uma família côderosa.
Até Sempre Princesa Côderosa







1 comentário: