domingo, 14 de dezembro de 2014

Para todas as mães...

... que perderam filhos.
São mais do que alguma vez poderia ter imaginado, mesmo que estivesse a trabalhar e a escrever uma telenovela.
Há coisas na vida que ultrapassam a ficção, por muito que achemos que não. Mas volta e meia, se estivermos atentos às histórias que nos chegam por amigos, ou via internet, percebemos que a realidade poder ser muito mais dura e inacreditável do que a história que alguém um dia inventou.
O melhor argumentista?
Quem quer que seja que esteja do lado de lá a dar-nos material para escrever a história da nossa vida e escolhermos o tom em que o fazemos.
Há quem lhe chame Deus.
Chamem-lhe o que quiserem.
Hoje comemora-se o Dia Internacional em Memória dos Filhos que partiram. Não foi notícia. As pessoas não querem estas más notícias. Mas esquecem-se que há quem precise de falar da sua má notícia para seguir em frente.
Há pouco tempo a pequena Gui foi notícia e fez pensar na morte de bebés prematuros.
Hoje o dia também foi dos pais dela. E da Mãe Vanessa. E da mãe do Afonso. E da mãe da Bia. E de tantas mães.
Acordemos para esta realidade não com medo do que possa acontecer, mas conscientes do quanto temos que valorizar a vida e do quanto talvez possamos fazer a diferença na vida destas mães, com um simples beijo, no dia de hoje.
Eu mandei beijos a muitas mães que conheço. Foram elas que há um ano me deram a conhecer este dia.
Que todos o conheçamos não por maus motivos, mas porque estamos atentos aos pequenos Mundos, que tal como o Nosso, existem no Mundo.
Há um ano eu escrevi assim:
http://maetonino.blogspot.pt/2013/12/dia-internacional-em-memoria-dos-filhos.html



1 comentário: