terça-feira, 25 de agosto de 2015

Mãe, quem me dera...

... que fosses elástica.
Assim podia dar-te a mão e estar sempre contigo.
Mas tinha de amarrar a tua mão à cintura, para que não se soltasse e não ficasse sem ti.
Palavras para quê?!

Sem comentários:

Enviar um comentário